Programa voluntário leva histórias e poesias para quem não tem acesso a internet

Diante da pandemia iniciada em 2020, em que a internet tornou-se o meio mais utilizado para assistir produções artísticas e culturais, a professora da UFRN, Sandra Kelly de Araújo, pensou naquelas pessoas que, por algum motivo, não tem acesso a internet, seja por falta de condição financeira ou mesmo por não saber usar esta tecnologia. Assim nasceu a ideia de criar um grupo de pessoas voluntárias que contassem histórias, causos e poesias pelas ondas do rádio.

O grupo formado por profissionais de diversas áreas, e de várias idades, tem como requisito que estas pessoas, de forma voluntária, gravem em áudios de whatsaap contos, causos, histórias e poesias, que são organizados na programação de 30 minutos e divulgados no “Programa Na Boca da Noite”, aos sábados, na 106 FM, a partir das 18h.

O trabalho tem crescido, numa rede de empatia e colaboração sem limite nas fronteiras.

“Temos colaboradores de Caicó, do Estado do Ceará e até do Rio de Janeiro. Eu faço o roteiro e apresentação, depois de discutir sobre o conteúdo com 8 colaboradores fixos do programa. Natan Araújo faz a edição e enviamos pronto para a rádio, via email” explica Eugênia Kelly de Araújo, colaboradora do projeto.

O programa que iniciou em agosto de 2020, também tem página @nabocadanoite no Instagram, onde é publicado o arquivo com o programa na íntegra, também partilhando com internautas e recebendo opiniões diversas.

Na Boca da Noite é planejado com seus colaboradores se comunicando apenas virtualmente, desde o recebimento de áudios, até as discussões sobre o conteúdo, e o envio do arquivo para a rádio. E assim, aos sábados, no sertão, e em tantos outros recantos, uma melodia doce chega nas casas, com histórias e poesias, causos e contos, levando alegria, emoção e distração, amenizando a dureza de vivenciar a pandemia.

Foto: divulgação