Para combater aumento de casos de Covid em Florânia, prefeito lança decreto com toque de recolher, válido até dia 30

Em Florânia, Município da região Seridó, a Prefeitura Municipal publicou decreto com toque de recolher das 19h às 05h do dia seguinte. Os estabelecimentos comerciais  poderão abrir de segunda a sábado das 05 às 13h, entre outras medidas de combate à Covid-19, em vigor até o dia 30 de abril de 2021.

O decreto se fez necessário diante do índice de Covid-19 no Município de Florânia.

Comparando com boletim dos casos de Covid de cidades maiores, como Caicó, com população estimada em 68.343 habitantes, é perceptível o alto índice de casos em Florânia, visto que Florânia tem população estimada em 9.786 hab.

A quantidade de pessoas em tratamento domiciliar difere de Caicó por apenas 74 casos, sendo Florânia com 122 casos e Caicó com 196. A diferença na quantidade de suspeitos é somente de 29 casos, pois Florânia tem 124 e Caicó 153 casos suspeitos.

No número de internados a diferença é menor entre os dois municípios sendo Caicó com 12 internados e Florânia com 10.

No quantitativo de óbitos Florânia é compatível com outros Municípios de seu porte e apresenta 08 óbitos. Neste item não se aproxima do quantitativo de Caicó que tem 108 casos.

Conforme o decreto municipal de Florânia, que tem validade até dia 30 de abril, “em qualquer horário de incidência do toque de recolher, os estabelecimentos comerciais e prestadores de serviço poderão funcionar exclusivamente por sistema de entrega delivery, ficando suspenso a prática takeaway (retirar no balcão), e este serviço delivery, deverá ser realizado por funcionários identificados com fardamento ou crachá com nome e local de trabalho”

Também está determinado que “é permitido o deslocamento durante a vigência do toque de recolher, restritamente em situações de emergência ou para o deslocamento entre o local de trabalho e o domicílio residencial”

Sobre a fiscalização no Município para garantir cumprimento do decreto, é determinado que “a Polícia Militar, a vigilância sanitária e os gestores em saúde, serão responsáveis pela fiscalização e promoverão operações constantes com o objetivo de garantir a aplicação das medidas dispostas neste Decreto, com a finalidade de assegurar o distanciamento social e coibir aglomerações”