No Seridó, três cidades tem aumento significativo nos casos de Covid 19

Somente entre janeiro e o dia 22 de fevereiro de 2021, pelo menos 13 municípios do Rio Grande do Norte registraram mais pessoas confirmadas com Covid-19 do que em todo o ano de 2020 – especialmente a partir de março, quando declarada pandemia. Os dados são dos boletins epidemiológicos divulgados diariamente pela Secretaria de Saúde do Estado.

O caso que mais chama a atenção é o de Carnaúba dos Dantas, na região Seridó, que viu o número de casos mais que triplicar. Até dezembro, o município tinha 117 notificações. Menos de dois meses depois, já são 375 casos confirmados – um aumento de 221%.

Da mesma forma, Tenente Laurentino Cruz passou de 89 casos ao longo de 2020 para 231 até a última segunda-feira (22). Jardim do Seridó saltou de 370 casos para 895, no mesmo período. Esses dois municípios também estão localizados na região Seridó do Estado.

Do total de 167 municípios potiguares, 45 tiveram aumento de pelo menos 50% de casos em janeiro e fevereiro, na comparação com todo o ano de 2020. Entre eles, destacam-se cidades populosas como Santa Cruz (57%), Currais Novos (55%), Tibau do Sul (66%), Patu (55%) e Extremoz, na região metropolitana da capital (50%).

Apenas o município de Barcelona não registrou nenhum caso ao longo de 2021, e mantém as mesmas 41 notificações que tinha em 31 de dezembro.

Em Natal teve aumento de 31% dos casos em relação ao total registrado em dezembro. A cidade passou de 34.453 para 45.125. Parnamirim, na região metropolitana, teve crescimento de 45% dos casos, saltando de 10.606 para 15.395. A região vive uma ocupação de praticamente todos os leitos críticos para Covid.

No Oeste, a segunda maior cidade do estado, Mossoró, teve crescimento de 27% nos casos, passando de 10.849 para 13.823 no período.

O aumento de casos refletiu na ocupação de leitos críticos que está crítica na região metropolitana de Natal. Nesta quarta-feira (24), o secretário de Saúde Cipriano Maia, afirmou que o estado vai abrir mais leitos, mas a população precisa atender aos protocolos para evitar contaminação.

“Estamos criando cerca de 60 leitos, mas todo o sistema de saúde tem seus limites, não podemos criar leitos do dia para a noite. É necessário pessoal, insumos, esforços, e tudo isso tem limite. Não é a expansão de leitos que resolve o problema, porque muitas pessoas podem ter um leito e ainda assim não salvar a vida. O que salva vida é evitar contaminação e a infecção. E isso se faz com as medidas restritivas e o isolamento social que temos recomendado”, declarou

Fonte/ Foto: G1 e interTV Cabugi