Italiano que morou em Caicó diz que governo da Itália subestimou o Coronavírus e relata situações antes inimagináveis naquele país

Italiano que já morou em Caicó concede entrevista a Suerda Medeiros

“Nosso governo subestimou o coronavírus e infelizmente estamos nesta situação. A Itália soube com atraso. Os outros países souberam com bastante atraso”, afirma Max Tori

Max Tori é italiano, casado com uma brasileira. Morou no Brasil por cerca de 15 anos, voltando ao seu país de origem em 2015, onde reside até hoje. Max é empresário do ramo imobiliário e investimentos. Fala fluentemente português e concedeu uma entrevista a Suerda Medeiros.

Ele mora no litoral da Toscana, e diz que só sai de casa para uma verdadeira necessidade: “vou deixar mantimentos para minha mãe, que mora só e já é idosa, por exemplo”, afirma.   

“Fecharam bares, academias, todos os lugares que reuniam muita gente”, lamenta.

Max critica a morosidade com que o assunto foi tratado na Itália: “a situação do coronavírus foi subestimada. A gente soube com atraso. Os outros países souberam com bastante atraso. Nosso governo subestimou o coronavírus. Há uma semana atrás muita gente ainda saía de casa para bares e outros lugares. Somente depois dessa explosão de casos, o governo começou a passar as recomendações. Não foi corretamente administrado”, desabafa o italiano.

Max Tori elogia a saúde de seu país: “nosso sistema de saúde é excelente a nível mundial e está fazendo o possível para absorver o impacto desse vírus. Todos da área medica estão fazendo o possível e o impossível. Mas os governos subestimaram e infelizmente estamos nessa situação”, relata.

Ouça a entrevista completa concedida nesta manhã de sábado a Suerda Medeiros pelo whatsapp: