Equipe da organização do acervo de Padre Tércio, tem cerca de 7 mil livros para catalogar, além de outras descobertas como a especial coleção de burrinhos

Por iniciativa de Casa de Pedra Coletivo de Artes, de Caicó, está havendo a organização do arquivo pessoal de Monsenhor Ausônio Tércio de Araújo, “Padre Tércio”, falecido em 09 de janeiro deste ano, em decorrência de Covid-19. O projeto foi aprovado pelo edital da Lei Aldir Blanc e teve o consentimento de Padre Tércio desde o início.

Trata-se de um projeto do artista plástico Custódio Jacinto de Medeiros e da arquivista Shara Rachel. A expectativa é que após esta organização já iniciada, seja instalado um memorial.

O acervo de livros e periódicos conta com cerca de 7 mil livros em português e em línguas estrangeiras como francês e latim. Para catalogar este material, o projeto conta com a bibliotecária Juliana Souza. Mas outros profissionais também agregam o trabalho minucioso, como Tereza Marcelina responsável pela higienização e seleção de fotografias, para formar a linha cronológica.

Na organização do acervo, novas informações sobre Padre Tércio vão surgindo, como o fato dele ser assinante de revista em quadrinhos, como Zé Carioca, Pato Donald e Tio Patinhas. Já no âmbito da música, foi encontrado material de Ângela Maria, Luiz Gonzaga, Maria Bethânia, e sua preferida, a cantora Perla.

Outra descoberta interessante é sua coleção de burrinhos, que muito remete às suas aulas quando, de forma brincalhona, ele chamava seus alunos de “meus burrinhos”.

O desenvolvimento do projeto em torno do acervo de Padre Tércio, pode ser acompanhado pela página de Instagram @padretercio criada para divulgação do passo a passo do projeto.

Fotos @padretercio