Programa “Mais Cirurgias, Mais Saúde” aumenta oferta de cirurgias eletivas na região do Seridó

O programa Mais Cirurgias, Mais Saúde, criado pelo Governo do Estado para retomada das cirurgias eletivas suspensas no início da pandemia do coronavírus, segue beneficiando pacientes de todo o Rio Grande do Norte. Um dos ganhos para a população é a expansão do serviço para áreas onde não havia oferta de cirurgias eletivas, melhorando o acesso e fortalecendo a regionalização da Saúde.

Na Região Seridó já beneficiou mais de 200 pessoas em menos de dois meses de execução. Iniciado oficialmente em 1º de outubro, o programa já realizou 210 cirurgias no Hospital Dr. Mariano Coelho, em Currais Novos. As principais cirurgias realizadas são colecistectomia, histerectomia, herniorrafia, colecistectomia e herniorrafia, sendo as duas últimas as de maior demanda.

Em Currais Novos, são mais de 100 profissionais envolvidos, entre enfermeiros, cirurgiões, anestesistas, higienistas, maqueiros e equipe do Núcleo Interno de Regulação (NIR). Todo o fluxo dos pacientes é organizado de forma a prestar assistência desde a primeira consulta até o momento da alta. Os pacientes devem realizar seus exames pré-operatórios nos municípios em que residem para que depois possam ser encaminhados para o local da cirurgia estando com estado de saúde favorável à realização do procedimento.

“Os pacientes são encaminhados ao ambulatório do serviço por meio do contato via e-mail com o NIR. Uma vez realizado a consulta e indicada abordagem cirúrgica para o quadro, o cirurgião solicita os exames pré-operatórios, conforme protocolo interno, e encaminha a consulta com anestesiologista ou para consulta de retorno. Estando documentos e exames favoráveis, a cirurgia é agendada no NIR que repassa as orientações pré-operatórias e a data e turno da cirurgia”, explica a diretora geral do Hospital Mariano Coelho, Lígia Oliveira.

Uma vez realizada a cirurgia, o paciente é direcionado para um leito pré-determinado, onde passa a receber assistência até o momento da alta. Quando orientado pelo cirurgião, o NIR aciona o município de origem para providenciar transporte e agendar a consulta de revisão. A expectativa é que até o final de dezembro a unidade realize em torno de 360 procedimentos.