Pequenos negócios mantêm saldo positivo de emprego em março

O Rio Grande do Norte registrou um saldo de 2.116 vagas abertas no mês de março. O resultado positivo se deve praticamente ao bom desempenho dos pequenos negócios no mês.

Juntas, as micro e pequenas empresas potiguares realizaram 3.017 novas contratações com carteira de trabalho assinada, compensando as perdas de vagas verificadas nas empresas de médio e grande portes. Com isso, o Rio Grande do Norte acumula o saldo positivo de 6.165 novos postos de trabalho formal abertos no primeiro trimestre de 2021.

As informações estão na edição deste mês do Mapa do Emprego no Rio Grande do Norte, um informativo mensal feito pelo Sebrae-RN que analisa a evolução do mercado de trabalho formal com base nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

O material está disponível na íntegra para consultas ou download no Portal do Sebrae (www.rn.sebrae.com.br).

O saldo acumulado de novas vagas geradas no Rio Grande do Norte até março deste ano é 204% maior que o acumulado nos três primeiros meses do ano passado, quando o estado teve um déficit de 5.924 vagas de emprego formal. Os níveis de novas contratações garantidos pelos pequenos negócios também contribuíram para que o Rio Grande do Norte ocupasse a terceira posição no ranking de geração de novas vagas no mês passado entre os Estados nordestinos, ficando atrás apenas da Bahia (9.820 vagas) e do Maranhão (3.629 vagas).

Esse saldo positivo foi fruto do maior número de admissões frente às demissões nas empresas que atuam no setor de serviços. Mesmo em meio a medidas restritivas impostas para o controle da nova onda de agravamento da pandemia da Covid-19 no Estado, as empresas do segmento se reinventaram e contrataram mais trabalhadores formalmente.

Foram abertas em 30 dias 1.834 novas vagas nas atividades reunidas neste setor. O destaque vai para o nicho de empresas de seleção, agenciamento e locação de mão de obra, que sozinhas essas geraram 919 novas vagas.

Já a construção civil apresentou o segundo melhor saldo do mês, com um total de 774 novos postos de trabalho abertos. Essa indústria já vinha dando sinais de retomada do ritmo de contratação de mão de obra desde o final do ano passado.

O terceiro setor que mais contribuiu para a geração de emprego foi o comércio, que teve um saldo de 765 vagas, em seguida aparece a indústria cujo saldo foi de 313 vagas em março. Já o setor agropecuário amargou um déficit de 1.570 vagas, tornando-se o único a encerrar mais postos de trabalho e fechar o mês com saldo negativo em termos de vagas.

O Mapa do Emprego no RN feito pelo Sebrae indica as cidades onde ocorreram mais contratações e mais desligamentos no período. E, em março, Natal continuou responsável por alavancar o saldo de novas contratações. A capital do Rio Grande do Norte abriu 1.361 novas vagas de emprego formal.

O município de Parnamirim gerou no mês um saldo de 641 novas vagas, seguido de Caicó (163 vagas) e Pedra Grande (111 vagas). Os municípios onde houve as maiores quedas no número de vagas foram Mossoró (596 vagas perdidas), Apodi (344 vagas perdidas) e Baia Formosa (242 vagas perdidas).

Fonte Sebrae RN