Filme destaca o fotógrafo caicoense José Ezelino

Uma obra audiovisual destaca José Ezelino da Costa, caicoense, negro, fotógrafo, filho de ex-escrava, como profissional da fotografia à frente de seu tempo, nos anos 20, no sertão.

Os fotógrafos Damião Paz, Meysa Medeiros e Henrique José, inspirados pelo livro da Profa Dra. Ângela Almeida – Quando a Pele Incendeia a Memória – construíram no formato Docuficção, um dia da vida do fotógrafo Zezelino, que é interpretado pelo ator e também fotógrafo Damião Paz. O roteiro também é fruto de pesquisa do acervo fotográfico.

O filme “O Photographo ZÉZELINO” teve sua estreia no Seridó Cine que iniciou dia 08 e acontece até dia 13 de fevereiro. Para acessar, é preciso fazer cadastro com nome e email em 2021.seridocine.com.br e localizar o filme no item Mostra RN Doc. A finalização do filme contou com um trabalho técnico apurado de imagem e som, bem como a construção de vinhetas e caracteres com tipologia própria.

Nos anos 20, “Zezelino” criou cenário no seu estúdio e com uma linguagem diferenciada fugia de regras habituais da época, destacando também a emoção das pessoas fotografadas, pelo riso ou pelo olhar direcionado a um objeto, de forma que, nem sempre, suas fotografias traziam o habitual olhar estático para a câmera. Outro fato novo para a época é que José Ezelino fazia autoretrato.

Sua obra teve principalmente a marca de levar ao estúdio, os negros da época, que habitualmente eram fotografados apenas no ambiente de trabalho, na posição de empregados. José Ezelino deu protagonismo social aos negros da época, promovendo pela fotografia, igualdade, com o mesmo figurino e cenário das famílias ricas e de destaque na sociedade.

Além de fotógrafo, ele também era compositor de músicas sacras, músico clarinetista e chegou a ser maestro da Banda de Música Recreio Caicoense, de Caicó RN.