Carreatas pelo impeachment voltam às ruas neste fim de semana

A CUT e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo dão sequência aos atos promovidos nos dias 23 e 31 de janeiro, convocando novas manifestações para este sábado e domingo, 20 e 21 de fevereiro, pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Ao menos 70 cidades já confirmaram carreatas, bicicletadas e atos públicos, sem aglomerações, para pressionar pela abertura do processo de impedimento.

A mobilização também contempla a exigência por “vacina já” e gratuita para toda a população, o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), a proteção ao emprego e a prorrogação do auxílio emergencial, no valor de R$ 600, até o fim da pandemia do novo coronavírus.

Para as centrais sindicais e os movimentos sociais, o benefício entre R$ 200 a R$ 250, negociado entre Congresso Nacional e o governo, é insignificante diante do avanço da pobreza no país. Além de estar condicionado a propostas de reformas neoliberais de Bolsonaro que, na prática, segundo eles, “significam a retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras”.

De acordo com os organizadores, todas essas pautas que preocupam os brasileiros passam pela luta da democracia, por isso, a centralidade do “Fora Bolsonaro” mesmo diante nova composição do comando da Câmara e do Senado, mais alinhado ao governo. Já são 70 o número de pedidos do impeachment  protocolados no Legislativo. Nenhum deles foi colocado para análise pelo ex-presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). E com a eleição de Arthur Lira (PP – AL), apoiada por Bolsonaro, o acolhimento das denúncias ficou ainda mais difícil. Mesmo assim, os movimentos acreditam na pressão popular para a abertura do processo.

Fonte Rede Brasil Atual

Foto Ricardo Stuckert