Câmara aprova projeto de lei que favorece compra de vacinas Pfizer e Janssen

Em Brasília, a Câmara aprovou na terça-feira (2) um projeto de lei para que a União possa assumir as responsabilidades por eventuais efeitos adversos de vacinas da covid-19.

Trata-se de exigência da Pfizer e da Janssen que o governo vinha apontando como abusiva. Esta permissão chegou a ser colocada em versão prévia da medida provisória 1.026/2021, com aval da pasta de Pazuello e da área jurídica do governo, mas foi excluída do texto final, publicado em janeiro.

Pazuello também pediu para a sua equipe acelerar a compra da vacina da Janssen, segundo apurou o Estadão, com um auxiliar do ministro. Este imunizante tem eficácia de 66% e exige a aplicação de apenas uma dose, mas ainda não tem aval para uso no Brasil.

O Brasil negocia 38 milhões de doses desta vacina, que chegariam ao País a partir de outubro. A Janssen ainda não se manifestou.

A vacina da Pfizer foi a primeira a receber registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) contra a covid-19, em 23 de fevereiro. O imunizante tem eficácia global de 95%. Para a população acima de 65 anos, alcança 94%, segundo avaliou a agência sanitária.

Fonte G1

Foto G1